Estrutura fibrosa do lenho

O lenho é constituído por vários tipos de células elementares cujas dimensões, forma e agrupamentos variam de acordo com a sua localização no lenho e a espécie lenhosa.
A constituição diferenciada do tecido lenhoso é a causa do comportamento anisotrópico da madeira e da sua heterogeneidade quer em relação às várias espécies quer em função da localização no mesmo toro.
O lenho das resinosas e das folhosas tem uma constituição diferente.

Resinosa: árvore do grupo das Gimnospérmicas, de folhas lineares (abeto), aciculares (pinheiro) ou escamiformes (cipreste). A maioria pertence à classe das coníferas.


Folhosa: árvore do grupo das Angiospérmicas, de folhas geralmente planas e largas. Exs:carvalho, castanheiro, Faia.



1 - Anel de primavera
2 - Anel de Outono
3 - Parênquima
4 - Traqueídos
5 - Traqueídos radiais
6 - Pontuações aureoladas
7 - Canal de resina
8 - Raios lenhosos

1 - Traqueídos
O lenho das resinosas é composto quase na totalidade pelo prosênquima que é um tecido formado de traqueídos que são células alongadas de diâmetro quase constante, semelhantes a tubos finos e que desempenham uma função dupla de condução da seiva e suporte mecânico.
Os traqueídos, designados tecnicamente por fibras, podem ser traqueídos longitudinais ou radiais e tem pontuações aureoladas que consistem em depressões, sensivelmente troncocónicas de uma das camadas da parede celular.

2 - Raios lenhosos
Além dos traqueídos, existem também numerosas linhas finas e claras que se desenvolvem radialmente - os raios lenhosos e que conduzem e/ou armazenam substâncias nutrientes no sentido radial do tronco. São conjuntos de células lenhosas cuja função principal é o transporte e armazenamento de nutrientes. Nas secções radiais ou tangenciais de determinadas espécies aparecem como um "espelhado" com um bonito efeito estético e decorativo: por exemplo no carvalho, cedro, louro, etc. A sua presença, quando significativa, é vantajosa na medida em que funcionam como amarras transversais das fibras, impedindo que "trabalhem" exageradamente frente a variações do teor de humidade.
Os raios lenhosos constituem o parênquima radial. O tecido do parênquima, disposto segundo a direcção geral das fibras designa-se por parênquima longitudinal. O parênquima é, portanto, um tecido de células curtas providas de paredes relativamente pouco espessas, disseminado no seio do prosênquima e destinado principalmente à distribuição e reserva das substâncias nutrientes (hidratos de carbono).

3 - Canais de resina
As resinosas contêm ainda os canais resiníferos que são limitados por células secretoras de resina.

Lenho das folhosas

1 - Anel de primavera
2 - Anel de Outono
3 - Parênquima
4 - Fibras (prosênquima)

Suporte
5 - Vasos
6 - Poros
7 - Raio lenhoso

1 - Vasos
Os vasos são tubos longitudinais de células do prosênquima, que é o tecido que forma, nas folhosas, grande parte do lenho. Cada vaso é formado de células longitudinais e tubulares justapostas, visíveis a olho nu, abertas nas extremidades e justapostas. Permitem o fluxo da seiva através do lenho.

2 - Fibras
As fibras, dispostas longitudinalmente no caule, são células com extremidades finas, diâmetro inconstante e reduzido. No seu conjunto, fortemente aglomeradas, constituem os elementos de resistência e sustentação da árvore. As características mecânicas da madeira estão estreitamente ligadas à densidade, textura e disposição do tecido fibroso. As fibras são células do prosênquima.

3 - Parênquima
O parênquima é um tecido de células curtas providas de paredes relativamente pouco espessas disseminado no seio do prosênquima, destinado principalmente à distribuição e reserva de hidratos de carbono.

4 - Raios lenhosos
Os raios lenhosos são faixas de células do parênquima dispostas em fiadas radiais. A sua presença implica uma amarração das fibras no sentido radial, alterando as características nesta direcção.